Acessibilidade

Seas capacita gestores e técnicos do Bolsa Família e Cadastro Único

 

Gestores e técnicos de 19 municípios amazonenses estão participando de uma semana de capacitação, com oito horas diárias, sobre o Programa Bolsa Família (PBF) e Cadastro Único, promovida pela Secretaria de Assistência Social (Seas). O evento iniciou na manhã desta segunda-feira (10/06) e se estende até a sexta (14/06), com uma média de 30 participantes que irão interagir com várias atividades, além de serem contemplados com material didático.

Na abertura dos trabalhos, a secretária adjunta da Seas, Fernanda Ramos, aproveitou a presença dos técnicos para externar sua preocupação com relação ao grande número de beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC) no Amazonas, integrantes do Cadastro Único para Programas Sociais, que ainda não atualizaram seus dados.

“Temos 104 mil beneficiários do BPC, e desse total, mais ou menos 25 mil não atualizaram seus cadastros”, disse, ressaltando que a Seas está trabalhando no sentido de se articular com os municípios para agilizar esse serviço onde a demanda está baixa.

Segundo a secretária adjunta, Manaus, Parintins, Maués, Manacapuru, Coari, Tefé e São Gabriel da Cachoeira têm um percentual grande de pessoas não alcançadas pelo BPC, o que pode gerar um caos se os contemplados tiverem seus benefícios suspensos. Na semana passada, ao participar de uma Formação sobre Orçamento em Brasília, a secretária disse que os técnicos do governo foram incisivos com relação a essa questão.

“Por conta da escassez de recursos, estão falando na redução de orçamento. Logo, há o risco de muitas pessoas serem prejudicadas”, alertou.

“Somos um Estado com mais de 4 milhões de pessoas, das quais 650 mil estão em estado de pobreza extrema; temos 641 mil no Cadastro Único;  413 mil são beneficiários do Bolsa Família”, disse Fernanda Ramos, ressaltando que 124 mil pessoas do Amazonas não têm nada: nem BF e nem BPC. “Precisamos saber onde essas pessoas estão e quem são”, completou.

CadÚnico – A coordenadora estadual do Programa Bolsa Família e Cadastro Único, Ana Cláudia Soares da Rocha, disse que, nos cinco dias de capacitação, os participantes – gestores e técnicos da assistência social – serão orientados sobre o atendimento ao público nos municípios com relação a Cadastro Único e Bolsa Família.

“Vão ser passadas informações sobre qualificação da base, e vamos trabalhar a questão de legislação, tudo visando a melhoria do trabalho junto aos beneficiários do BF”, sintetizou.

Logística complicada – A coordenadora do Programa Bolsa Família no município de Careiro da Várzea, Liciane Costa de Souza, disse que a maior dificuldade no cadastramento das famílias, um total de 4.079 cadastradas no BF, é a logística, pela necessidade de atender a população da zona urbana e rural.

“Temos que ir em busca do nosso público. Há comunidades distantes, e os moradores não têm como ir até a sede do município, pois o custo é muito alto. Praticamente são pessoas sem renda, e quando tem, é muito baixa”, informou.

A também coordenadora do programa Bolsa Família e Cadastro Único do município de Coari, Vanusa Barreto, destacou as dificuldades enfrentadas para o cadastro e recadastramento das famílias ribeirinhas por conta do deslocamento para as comunidades rurais. Segundo Vanusa, mais de 14 mil famílias do município estão no Cadastro Único, dos quais 10.800 estão no Bolsa Família.

“A grande maioria são famílias beneficiadas pelo BF que vivem em situação de extrema pobreza, e o benefício visa tirá-las da situação de vulnerabilidade”, informou, ressaltando que, na medida do possível, tem procurado atender às demandas do Ministério da Cidadania.


Reportar Erro